Livraria Virtual

Livraria Virtual
Livros em diversos idiomas, para todas as idades.

12.3.16

3.11.15

Cuba Libre

Un pie en lo alto y otras encerronas. Premio de la Crítica LiterariaUn pie en lo alto y otras encerronas. Premio de la Crítica Literaria by Sindo Pacheco
My rating: 5 of 5 stars

Godofredo Miyares, tratado como un mito aunque fuera vivo todavía, La historia dada como verídica, una verdad a medias y en la medida, un icono, que viene des del inicio a través de una carta personal, apócrifa, escrita por Alma Inés a su hermana que estaba por morirse... a morirse de amor. Es que esa luego recupera su fuerza movida quizá por una actitud ingenua de su hermana mayor. Así Amelia ameliora su estado de torpor y empieza a dibujar nuevas cartas, tras tal suceso, el milagro de las hojas de amor tierno e eterno. El ocurrido y tantas otras historias se desarrollan a ojos vistos, visitados por unas cien o sin cuentas de cuentos, todos muy bien elaborados para echarle a la vista llena de vislumbres miles.

Godofredo ya había se cansado de trabajar como encañador en Cuba, aun que tomaba todas y quería Cuba libre, pero se fue a vivir en Alaska. Su idea no era congelarse a hondo pero hacerse rico el suficiente para tomar como esposa a su amada a medias, Amelia. Después de transcurridos 40 años el no se olvidaría de su amor juvenil. Claro que nada podría ser más lejos de la realidad. La hermana tuvo compasión de ella y pasó a enviar cartas como si pasara por el antiguo amor, incluso imitaba a su estilo militar con sus palabras más rebuscadas. Tres hermanas solas aun que unidas por la pasión con solamente un sueño: Tocar el irreal. El amor surge no en la costura, o la cordura, ni dura ni pura, ni al menos por el fervor o la gordura, meramente por Amelia y su dulzura (o soltura de la soltera) en un viaje por el penthouse (o lo que se supone ser el último piso) del hotel Miramar, mirando el mar, que lo que viene después es un bar en Miraflores, que en un tiempo no muy lejos la gente se emborrachaba de tanto mirar a las flores… Las cartas de Godo (así lo llamaban las mujeres) pasaran a servir como un milagro en el pueblo y la gente lo veía como a una leyenda… aun que una leyenda viva.

El cuento "Habana", le cuento, cuando un león escapa del Zoo, o fue del circo… Poco importa ahora. Lo que es claro es que aquel animal no iba a sosegar hasta que él hiciera del pollo un polo de virtudes. Y la bestia seguía por las calles de Havana. Pero más difícil que domar la bestia seria enfrentar a una bella habanera. Lucia, una luz que luce tan real… como un cuento de cristal, tan frágil y dulce… Un encuentro en fuga, fugaz.

Y luego nos invita a un “Pas-de-Deux”, con Bernabé y Felicia quien era feliz y ni lo sabía. A un Paso de Dios, los dos viven en pie de guerra. El, para distraerse y substraerse al extraer de si mismo algo real, empieza a escribir un cuento que no dura más que una sola línea. Pero es más viva que su vana existencia. Así que para salvar su alma atrae a un personaje que no lo trae y que se hace tan real que sobrepone a su propio creador.

Un cuerpo separado de su cerebro. Cuanto tiempo le sobraría libre de su alma penada o cuanto le restaría por vivir… Le quedaría solamente estar encerrado en sí mismo o enterrado a su propio destino.

Son tantos los cuentos absurdos que hasta parecen normales. En paradojos hay un comprometido sentido de realidad estratosférica en extractos de relatos ricos y caros, en una cara a cara de extrañezas caras. Claro, claras. Plenas sin pena. Poesía hecha en prosa. Profundas historias dichas de manera singular, algunas desdichadas, un sin par de anécdotas impares, dispares y mismo divertidas en notas creativas. Escrita que fluye a los ojos curiosos por adivinar los hechos, que ya no podía resistir la tentación de conocer el gran final. Yo empecé a leer en una noche escura y fría con una lluvia flaca, fina y persistente hasta el fin, cuando terminé la lectura aun acompañada de la lluvia, ahora interna pero intensa, fuerte, caliente y resistente.

View all my reviews

6.9.15

Poemas de las 4 en Punto: Noche Honda, Noche Plana

Podría haber, sin duda alguna, otro poeta que sea capaz de dar vida a una palabra solamente, e que podría escribir diferentes tipos de versos de una sola vez…. Pero escribirlos todos con un desarrollo infinito, una naturalidad que solamente una alma inspirada podría hacerlo, eso sí que es difícil de encontrar. Además que siempre hay aquella duda donde uno se pone a pensar si los poemas se refieren a alguna experiencia que el poeta haya tenido, e es por eso que se cree y se cría una perspectiva subjetiva, a mi me pasa eso, cuando yo escribo acrósticos o poesía concreta y hay que sustraerse de si misma para hacer la desconstrucción de lo que pareciera ser una opción clara de una manifestación formal. Así lo que parece tan fácil hay por tras de todo eso un labor en lo que el mínimo detalle no se le escapa, y de eso se trata la originalidad de la poesía de esa verdadera artista. En sus poemas hay una gracia nata… una manera de expresar y conducir los conceptos más complejos y más bellos del ser humano, de todo lo que ella podría exponer de la vida y su complejidad, de los objetos y sujetos del deseo, de los acosos y los más voluptuosos sucesos. Veamos por ejemplo el poema [Vacío I]:
Leve entonces fueran las palabras, Cuando El se fue.
Como un rechazo de la alma misma adentrando en la poesía hecha de un solo instante, fúnebre, pesaroso, sin correr pero igual corriendo el riesgo de quedarse sin la sangre ya que de uno flechazo se deshace el cacho en el corazón, pero él se queda atrapado y ya casi listo a romperse. Toda la tristeza que se hace todavía mas fuerte desde el principio cuando se refleja con la declaración de amor, donde El con la letra E mayúscula ya se refiere a alguien mucho más poderoso que las palabras, que de ligeras y sin leyenda ya casi se callan. Y el vacio que se acerca por fin, cuando no hay nadie más, ni más nada a decir por fin.



Sin duda una obra literaria de mucha sensibilidad y inteligencia. Así se nota en los Poemas Antiguos: Ser de Hiel. La clareza de calidad en sus versos y dan real valor a las palabras que ganan vida en cada línea, donde la esencia misma se hace franca o flaca al que se le pone garras y igual se le desgarra de la surrealidad, en el más allá del surrealismo, moldando y dando plena consciencia a la voz del poeta. Y cuando de allí se juntan dibujos y ilustraciones hechas por la propia autora y a mano, que son además ricos de contenido a cada trazo, entonces no hay mas nada a decir sino contemplar la belleza de las palabras en un libro de poemas del más puro candor.

(Poema de las 4 em Punto disponible en Amazon Kindle: AQUI)

3.9.15

Sexta Sexy

#SOS Sinônimo Ostentando Sucesso: Quando você vê seus livros sendo pirateados e vendo as pessoas comentando que elas adoraram o livro! Ok, agora vá e compartilhe o valor e espalhe isso fazendo um marketing boca a boca para que outras pessoas possam comprá-los e eu vou ser capaz de escrever mais alguma coisa boa!
Livraria Virtual

Esse é o comentário que deixei em um site que faz pirataria de livros e simplesmente "roubou" o meu livro, deixando-o lá para que as pessoas possam fazer download gratuitamente. Ei, deixe-me decidir quem e quando e onde eu quero meus livros grátis!! Veja se eles compram isso ... caso contrário todo mundo é livre para compartilhar citações de meus livros. Eu sei que hoje é ainda quinta-feira não santa mas sedenta, mas eu estou um pouco a frente do tempo porque estou já preparando o espírito para o amanhã. Eu estava navegando na web para ver se eu pescava mais algum site pirata quando eu descobri isto:
"Para achar um bom lugar podemos viajar mundo afora
Mas se não procurarmos dentro não encontraremos fora."
Qual foi minha surpresa, não só ver que as minhas palavras foram escolhidas e compartilhadas em todo o mundo, mas também de uma forma tão doce, não podemos evitar de perceber que houve um cuidado, alguém tomou o seu tempo para sentir e pensar sobre as minhas palavras para criar tal desenho; deixou-me sem palavras. Vai entender, alguém que ama palavras e que é uma prolífica escritora / autora foi deixada sem palavras. Este é o tipo de atitude que me faz continuar na minha trilha e manter a minha escrita em dia e com sede para compartilhar ainda mais os meus proprios pensamentos.

Feliz Quinta Quente!!

30.3.15

A Misteriosa Morte de Marilyn Monroe agora em livro impresso!

Como uma pérola é formada? Que tal uma bomba?? Elas são formadas de forma tão natural que nós nem temos nenhuma pista sobre como seria mesmo a partir de um grão de areia ou qualquer outro objeto irritante para que se produza a perfeição. Então isso serve para alguns trabalhos de investigação que bordeiam aos recursos jornalísticos. Meu livro mais recente que eu acabei de publicar no site da Amazon (agora disponível em versão impressa na minha Livraria Virtual e logo na Barnes & Noble e outras grandes lojas varejistas) "A misteriosa Morte de Marilyn Monroe" tem um tema muito sensível porque isso nos toca até hoje, sobre a teoria das conspirações que permanece até os dias atuais. Eu também falo sobre o assassinato de JFK e muitas outras questões mais que herdamos com a guerra fria. Então, eu estava com medo de deixar tudo isso fora em aberto. Naquela época, eu estava completamente paralizada, parei de escrever e isso não tinha nada a ver com o bloqueio de escritor. Eu estava simplesmente negando o fato de que eu estava com muito medo de deixar que os assuntos sujeitos a cabo chegassem à luz. Meu pai então me perguntou por que eu parei de escrever, e eu lhe dei muitas desculpas ... mas ele me conhece muito bem, então ele disse: "Você está com medo do que as pessoas possam pensar sobre isso." Essa resposta me tocou muito profundamente. Mas eu ainda estava em negação. Eu não conseguia descobrir exatamente o motivo pelo qual eu tinha parado com o livro. Então eu comecei a escrever outros livros com muito mais disciplinas "light", o que foi muito bom desde que alguns exemplares foram vendidos logo depois que eu os publiquei. Foi depois de todos esses anos que eu me senti confortável para dar as pinceladas finais para esse livro e lá está ele, pronto e na vida de muitas pessoas agora. Eu estou tão feliz que eu finalmente desisti de lutar e escutei as sábias palavras de meu pai. Ele sabia mais do que eu. Eu estava com medo do que as pessoas pudessem pensar das coisas que eu escrevi no livro. Mas agora eu estou ok com isso, pois agora eu sei que se eu não colocasse este livro reservado lá fora, ninguém jamais iria fazer, e as pessoas não sabem sobre as coisas que eu digo lá. Eu nunca usei um pseudônimo, nunca me senti bem com isso se se ocultar sob outro titulo ou personalidade, sempre fui muito fiel com meu carater e minha vida em geral, entao, só criei um trocadilho como "Ana Bowlova", pois às vezes eu sinto pois que gosto de "bow" ou seja, eu me curvo para fazer reverência à vida e também para balancear mais as coisas... vai entender. Este livro teve muitos giros e voltas até que eu senti ok para poder avançar para deixá-lo respirar e ver a luz, e eu o escrevi no final de 2011. E você pode realmente verificar que é verdade com um trailer que eu fiz então que você pode ver no meu canal do youtube aqui como Misterioso Assassinato de MM com closed captions em Inglês e Espanhol (e sim, eu estava definitivamente com a minha visão de torná-lo um tipo de documentário ou filme de longa duraçao ou mesmo transformá-lo em um curta). Era um projeto que eu estava desenvolvendo com outro escritor de Mistério / Suspense em uma oficina de escrita e tivemos de falar sobre as coisas que aconteceram 50 anos antes do próximo ano e que seria o ano de 1962. Então, na minha pesquisa descobri sobre tantas coisas que aconteceram em seguida, e foi uma revolução acontecendo na minha cabeça. Muitas coisas que não foram reveladas ou nunca foram realmente sendo muito estudadas, isso era tudo muito suspeito. Então eu dividi os temas e decidi compartilhar ideias para escrever o livro. Mas por algum motivo estranho (que eu só posso concebê-lo agora como um tipo de medo) uma sensação de deixar as pessoas lerem os meus próprios pensamentos que me congelou por cerca de três anos. Eu escrevi muitos outros livros, entretanto, não havia realmente uma lacuna lá, então eu não posso nem chamar isso de um bloqueio do escritor (eu realmente não tenho ideia do que isso significa, para mim ideias surgem na minha cabeça o tempo todo) de modo que não era mesmo o problema de terminar o livro. A coisa era muito mais profunda. Foi esse sentimento de ser rejeitada que eu mencionei acima, eu estava simplesmente com medo do que as pessoas iriam pensar das minhas palavras, do meu trabalho, enfim, das coisas que eu estava revelando lá. Mas ei, isso foi apenas no final de 2014, quando eu decidi dar os últimos traços e "pixeladas" para terminá-lo e voila:
Support independent publishing: Buy this book on Lulu.

21.10.14

"A Economista"

Em termos de politica conseguimos deixar o Brasil igual aos Estados Unidos, ou seja, dividido. Pena que na parte economica ele não se equipara e volta a crescer de maneira mais sustentável. Mas se você acredita na nossa economia faça como os americanos que cunham sua crença em sua própria moeda: "In God we trust" , e o resto que se "lixo"! Se eles só acreditam no lá de cima é porque já cansaram de tentar acreditar nos daqui debaixo. E se você é uma pessoa sensata (e eu acredito que sim, se você está lendo o meu blog) você não vai querer ficar copiando o modelo dos outros, sabendo que o seu país precisa de mudanças e não se atarantar ao tratar de fazer o mesmo que foi feito antes ou imitar aquilo que se faz em outro lugar. Porque o Brasil é enriquecido de uma diversidade impar e é cego quem não admitir que a gente precisa apregoar uma nova politica e abordar um novo tema economico para progredir ainda mais. Parece que estou fazendo discurso de candidato para presidente. Pois ainda não me candidatei, e nem pretendo me candidatar no futuro a não ser que o modelo e as práticas que aqui prevalecem possam ser agora reestruturadas. Tanto o candidato tucano Aécio (Ah, é isso!) quanto a atual presidente Dilma do PT tratam o Brasil em baciada, parece uma feira de agressoes, de tapas a beijos diretos, malfadados ou enfadonhos, provocados pela secura de ideias e ideais, inflamados por um ensejo de poder, pondo fogo em tudo, em um incêndio florestal sem precedentes e que atinge todo o país (mesmo literalmente) o que assola ainda mais a nossa confiança em um Brasil Real. A não ser que os discursos sejam mais paliativos e menos apelativos, não há como a gente se acertar. O mundo inteiro nos olha como uma incógnita. Eles reconhecem a nossa potência mas nos veem como incompetentes. Vide a capa da versão latino-americana da revista inglesa "The Economist" da semana passada que eu fiz questão de fazer alusão em meu quadro, e sem ilusão, digo que se as frutas que estão no turbante que carrega a cabeça da Carmem Miranda ja passou da validade, no nosso Brasil, lindo pela propria natureza em que tudo se transforma e que faz reciclagem desse "lixo" todo (inclusive da revista)e esses bichinhos que ai estão a estampar a capa do "The Economist" não faz a vergonha de uma nação, não, pois ilustra muito bem como funciona a natureza, os insetos que parecem corroer nosso sistema são apenas larvas, lagartas que ainda irão se transformar em lindas borboletas. E sou testemunha disto! Tamanha economia abordada de maneria tão irrisória só poderia mesmo levar às risadas, e aos risos e à guiso dos mais desavisados. Mas não se avexe, porque o Brasil não faz vexame. O gigante apenas adormeceu mais uma vez, mas incubado em seu interior há uma força esperando para se revelar. E ela habita na educação de primeira linha, na infra-estrutura, no comércio e, principalmente, na maneira ativa (altiva) e brilhante com que essa gente brasileira desperta todo dia. E para esse povo maravilhoso que eu conclamo: Vamos abrir as asas e despertar. A hora é essa, a gente precisa rodar essa maquina à todo vapor, entrar em cena, e mostrar o que podemos e como podemos! Precisamos reciclar! Ignorar o fato que necessitamos urgente de uma economia auto-sustentavel, verde e diversificada agravaria ainda mais a situação politica. A politica e a economia devem andar de maos dadas. os poderes e o povo devem se saudar e se salvar e não se safar. Chega desse lero-lero, o jeitinho brasileiro não tem mais vez, agora não se pode dar mais jeitinho, tem que fazer o que deve ser feito e pronto... ponto! Chega de meias verdades ou de mentiras ainda maiores.

Basta! BXsta por bXsta, prefiro fazer uma aposta a dar de costas. Mas para não cometer um crime eleitoral e fazer um equivoco, entao aviso: Não desperdiço o meu voto: Voto em branco ou voto nos dois porque tanto faz quem vai sair bem nessa missão, se o que eu quero é ver meu Brasil campeão!

16.10.14

Desigualdade

Boas notícias com as crianças no bloco: A ativista pelos direitos das meninas de ter educação, a paquistanesa Malala ganhou recentemente o prêmio Nobel dando esperança sobre a desigualdade de gênero que paira sobre as mulheres ao redor do mundo. Malala foi baleada por desafiar a autoridade de um tipo de censura e esforço político para proibir as mulheres de frequentar a escola. São mulheres que com medo deixam de poder fazer parte das atividades sociais e políticas, tornando dificil as mudanças em um sistema patriarcal e eles acham que fazendo isso deixam as mulheres de fora de seus direitos humanos o que vai diminuir o seu poder na sociedade. Será que qualquer um desses homens no poder sabe que se não fosse pelas mulheres eles jamais existiriam? É hora de acabar com este e muitos outros tipos de desigualdades absurdos neste mundo. Com a globalização, não há mais espaço para esse tipo de mentalidade feudal. O planeta está tão interligado hoje em dia que uma crise de saúde em ameaças na África Ocidental pode contagiar a todo o mundo ocidental com um surto de Ebola. Mas não devemos pensar no mundo como subdivididos em categorias, os países mais pobres, regiões sociais e econômicas menos avançadas, a alta sociedade, um vizinho pobre e menos pesos fornecidos, PIB baixo, ou alto, fundo monetario, moratoria e todos esse termos horrendos que insitem em nos dividir em devedores e credores, endividados e livres para viver, mundo subdesenvolvido, etc, etc Porque nós, como planeta somos um. Nada diz mais sobre a desigualdade do que pobres e ricos. Mas a felicidade vai além da crise econômica. É uma disposição interior que não tem nada a ver com o econômicos, com desigualdades sociais e de gênero. E tem tudo a ver com uma razão ulterior de uma força interior, um impulso, para ser feliz e ajudar os outros a encontrar o seu caminho para a felicidade. É por isso que eu escrevi o livro "Felicidade de A a Z". Encontrar a sua felicidade em verdadeira igualdade e de grande qualidade só pode beneficiar os outros, ajudando o mundo a ser mais igual um passo de cada vez.
Tambem disponivel em ingles como "A-Z of Happiness".
Se continuarmos a ter essa mentalidade de nós contra eles, de luta contra a pobreza global isso tudo vai fazer a gente perder a linha de pensamento que pode nos levar a uma realidade mais clara. E eu não dou ponto sem nó, não sou sem noção. Claro que os problemas estão todos boaindo pra todo mundo ver, mas todos ficam boiando sem saber resolver isso. Por exemplo, aqui no Brasil, onde a desigualdade teve uma proporção tão desequilibrado que as pessoas ricas vivem encapsuladas em sua própria casa e vivem lado a lado com favelados, e as pessoas ricas têm que ficar literalmente presas dentro de sua própria mansão, pois corre o risco de ser assaltado ou pior ainda, sendo assassinado pois que as favelas facilitam a fuga dos assaltantes, e se eles puseram os pés ao ar livre fatal poderia resultar. A desigualdade tornou-se uma faca de dois gumes. E por que a desigualdade existe? Na Índia, além do planalto econômico ainda vemos a crise na sociedade. Há também as questões religiosas. No Brasil, a desigualdade tem algumas semelhanças e, embora seja bastante ambíguo é claro que a desigualdade vem de outras coisas que a tornam muito igual. Mas do significado no outro lado da escala há um fator que distorce profundamente essa equação tornando-se bastante insuportável ver os fatos. Mas a verdade é que, enquanto nós lutamos para mudar estas questões tão controversas as coisas são de uma forma muito geral e a melhoria leve e pouco substancial. No Brasil, a pobreza está diminuindo e é graças a uma mudança política na forma como as coisas foram tratadas, não tanto a partir de uma mudança política global, mas sim da iniciativa privada que gerou uma avalanche de projetos e perspectivas. Como um bom resultado que se assemelha em um processo de continuar igual a um melhor resultado em um efeito exponencial, as chances são de que as mudanças vão acontecer de forma feliz cmo uma ciranda. Mas ainda vemos muita desigualdade em locais onde questões como educação e violência, saúde e moradia, transporte etc devem já deveriam ter sido resolvidos se nós vemos que a pobreza está diminuindo. Mas a desigualdade ainda desempenha um papel importante, porque, vamos enfrentá-lo: não está acontecendo de ninguém estar menos pobres ou pessoas menos ricas e que poderia desaparecer a desigualdade para o bem. Não podemos e não devemos dividir o mundo em ricos e pobres. Isso só agrava o problema. O problema aqui não é quantas pessoas ou países no mundo têm falta de educação, ou moradia, uma renda decente, ou o que diferencia o que é viver com dignidade e quem está vivendo com a quantidade digna de dinheiro. É a nossa maneira de pensar em desigualdade que precisamos mudar. Não somos nós contra, ele X ela, um time contra outro, um versus... Mas somos o UNIiverso, juntos como um só, sem desigualdade significa que não quer dizer que podemos ser diferentes das outras pessoas, que não são diferentes do que o nosso vizinho, um país não pode diferir de outro, se todos eles vivem no mesmo planeta, se respiramos o mesmo ar, e nos alimentamos a partir do mesmo oceano, e dependemos da mesma fonte. Não há desigualdade e ponto. Pensando desse jeito pode soar um tanto tolo, eu sei, e mesmo utópico. Não há nenhuma maneira de ver a desigualdade se não vê-la como inexistente. Porque se nós devemos ver a realidade como ela é, a desigualdade não pode ser. Uma vez que todos nascemos iguais e os direitos humanos são acessíveis a todos e não só alguns, não haverá tal coisa como a desigualdade.